“Eu não acho estranho uma pessoa errar uma estimativa. Acho estranho acertá-la com frequência” Rodrigo Yoshima

Esse é o segundo post de uma série de postagens que relatam situações que acontecem no desenvolvimento de software, mas com a visão de quem coloca a mão em código fonte. O primeiro post pode ser conferido nesse link e fala sobre qualidade.

O tema de hoje será contado por mim e pelos meus amigos Daniel Wildt (linkedin), Guilherme Motta, Lucca Bonifácio Roder(linkedin) e Vinicius Campos Silva(linkedin) e um relato anônimo. Cada uma dessas pessoas tem uma história incrível e que merece a sua atenção e leitura concentrada.

É segunda feira, 9h da manhã. Já estou com meu café e…


Admita, ainda não fazemos qualidade em software!

Em 2004, durante a graduação, comecei a ouvir sobre gerenciamento de projetos e de um tal de PMBOK. Parecia ser bem interessante, pois ele era bem completo e apresentava detalhes do gerenciamento de comunicação, custo, escopo, prazo e qualidade. Parecia que tinha resposta para tudo e eu fiquei com a sensação de que os problemas estariam resolvidos no dia a dia de desenvolvimento de software.

Doce ilusão de um aluno de graduação que acreditou em tudo o que o professor falou

Eu pensava que aplicando PMBOK com o que eu havia aprendido de programação e banco de dados iria ser…


Percentual (aproximado) de submissões de temas técnicos na conferência Agile Brazil. Fonte: contagem manual disponível em https://submissoes.agilebrazil.com/

Agilidade e temas técnicos, ainda combinam? Um resumo do que vi entre 2017 e 2019

Caso você não consiga ler todo o artigo, saiba que a agilidade técnica não morreu conforme gráfico que inicia este artigo. Agilidade técnica não morreu, graças às pessoas que de fato entenderam que ainda estamos aprendendo a fazer software melhor e ensinando outros a fazerem o mesmo e que a contínua atenção e a excelência técnica aumenta a agilidade.

A seguir, conto um pouco de como este assunto mexe comigo, fique a vontade em seguir ou não com a leitura.

Agilidade e temas técnicas, ainda combinam?

2017 foi um ano marcante em minha carreira profissional pois adotei a postura de não mais aceitar um ágil “mais…


Pensamentos e conclusões a partir do dia a dia de quem trabalha com software

Nota: o autor deste texto não conhece muito de psicologia. O autor deste artigo relata experiências realmente vividas. As vivências foram junto em diversos times que trabalharam com desenvolvimento de software (não necessariamente no papel de pessoa desenvolvedora).


Entendendo como se contrai dívidas técnicas

Algum tempo atrás escrevi um post que falava como acabar com seu débito técnico. Pois bem, ali você aprendeu duas coisas:

  • seus projetos não tem débito técnico. O que você tem é dívida técnica
  • técnicas para começar a pagar a dívida (spoiler: em breve vou escrever um post para detalhar mais isto).

Revendo este post, percebi que algo ficou faltou: como como se contrai estas dívidas???

As dívidas podem surgir por diversos meios, imagino não conseguir mapear todas elas, mas vou seguir os autores especialistas no tema e pela minha experiência. …


Inspirado no estudo de Simon Sinek — The Infinite Game

Em março de 2019 tive a oportunidade de ouvir Simon Sinek no evento The Global Leadership Summit apresentando seu novo estudo intitulado Jogo infinito, como liderar no século 21.


Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito.

Quando comecei a estudar engenharia de software sempre ouvi dizer que devemos cuidar para não adicionar complexidade de forma demasiada ao código fonte.

Sinceramente, eu não entendia nada do que isto significava. E por não entender, eu programava no modo GoHorse, ou seja, nem pensava e inseria linhas e mais linhas de código.


Saia da conformidade que vivemos no desenvolvimento de software

Após um dia intenso de palestras incríveis do Global Leadership Summit, várias palavras ficaram populando a minha mente. Uma destas palavras eu considero ser uma possível causa raiz para vivermos um ágil tão frágil (#fragile).

CORAGEM (ou a ausência dela)

Coragem, a argamassa que falta pro seu conjunto de ferramentas

Juliet Funt, CEO WhiteSpace at Work, utilizou de uma metáfora incrível para explicar o por que tantas ferramentas de produtividade dão errado. Ela considera todas as ferramentas como tijolos que estão sendo empilhados e usados pelos times, mas entre estes tijolos falta a argamassa, que são os comportamentos.

Para a minha pessoa, a coragem é o principal ingrediente…


Memórias de tempos preciosos vividos numa empresa

Dia 14/12/2018, sexta-feira, faz muito sol e temos um dia lindo em Maringá — PR. As pessoas indo e voltando de seus trabalhos e muitas das escolas em seu último dia de aula. Alegria e euforia dos alunos em finalmente ter férias.

Somado a tudo isto, muitas pessoas desejando aquelas tão esperadas férias. Em resumo, o final do ano se aproxima e mais um ciclo anual de vida se encerra.


Simples, rápido e direto

O débito técnico é uma das dores de cabeça que boa parte dos times de desenvolvimento de software terão que enfrentar em algum momento.

Agora vou te contar como acabar com o débito técnico! Parece mágica, mas não é!

O que você tem no seu software é DÍVIDA TÉCNICA! Não existe débito técnico! (pronto… acabei com o seu débito técnico).

Pronto! Acabei com o seu débito técnico!!!

Ainda me assusto com a quantidade de pessoas que erram este conceito. Alguns pensarão que quem erra são pessoas não ligadas diretamente a codificação. …

Wagner Fusca

Agile e desenvolvimento de software podem caminhar juntos!

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store